terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Espírito do Natal.

"Eu estou pensando em você hoje porque é Natal, e eu lhe desejo felicidade.
E amanhã, porque será o dia seguinte ao Natal,
Eu ainda lhe desejarei felicidade.
Eu posso não ser capaz de lhe falar sobre isto diariamente,
Porque eu posso estar ausente, ou nós podemos estar muito ocupados.
Mas isso não faz diferença
- Meus pensamentos e meus desejos estarão com você da mesma forma.
Qualquer alegria ou sucesso que você tenha, me fará feliz. Me iluminará por todo ano.
Eu desejo à você o Espírito do Natal."

Feliz Natal à todos! Que as confraternizações desse fim de ano sejam repletas de alegria, carinho e muitos presentes. E principalmente que todos os sentimerntos bonitos que o Natal faz florescer continuem até o próximo ano..



segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Verdades.




Hoje me peguei pensando que talvez fique muito tempo sem postar nas férias, então escolhi alguns textos meus escritos há algum tempo, e irei postá-los ao longo dessa semana.


Sabe, falo sério quando digo que você as vezes é literal demais e que leva as coisas muito ao pé da letra, mas o que eu deixo de dizer é que talvez precise muito dessa sua precariedade com metáforas, assim como preciso da sua implicância diária, com meus gostos e desgostos, e daquele seu riso exagerado, que aos poucos vai me fazendo rir também. Você não tem a mínima idéia do efeito que tem sobre mim, de como meu coração para quando você me pede pra ficar mais cinco minutinhos, para dizer coisas das quais você gosta de ouvir, e eu não digo. Porque fazer charme e te ouvir pedir mais algumas vezes é extremamente gratificante. E você sabe dos meus momentos de sono onde a sinceridade me invade e eu acabo falando demais, você me diz que adora. O que você não sabe é que eu gosto mais deles do que você. Gosto de como minha sinceridade estimula a sua, e de como verdades quase impossíveis de serem ditas, vêm a tona assim, parecendo simples pra nós dois. Verdades estas que surgem todos os dias, de algum lugar que eu não sei onde, e que me pego querendo contar para você, mas só pra você, em segredo. Aliás, o que você mais sabe sobre mim são exatamente essas coisas, esses segredos que eu não conto pra ninguém, e que você foi descobrindo aos poucos, sem minha autorização. Pensa que eu liguei? Que nada! O que eu fiz foi te agradecer, por me lembrar que dividir segredos não é pecado nenhum, pelo contrário, é virtude.


Ps¹: Pois é gente, o Flamengo venceu o Grêmio e consagrou-se campeão do Campeonato Brasileiro, mas como alguns já disseram, acho que ainda posso crer na Humanidade, afinal o Grêmio não entregou o jogo. 
Ps²: O Palmeiras, time que passou a maior parte do campeonato na liderança, não se classificou para a Libertadores. Coitado do Muricy!



quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Para voltar a crer.



"Não faltam motivos para descrer da Humanidade. Vamos combinar que fizemos coisas extraordinárias, mas nossa passagem pela Terra não está sendo, exatamente, um sucesso. Para cada catedral erguida bombardeamos três, para cada civilização vicejante liquidamos quatro, a cada gesto de grandeza correspondem cinco ou seis de baixeza, para cada Gandhi produzimos sete tiranos, para cada Patrícia Pilar dezessete energúmenos. Inventamos vacinas para salvar a vida de milhões ao mesmo tempo que matamos outros milhões pelo contágio e a fome. Criamos telefones portáteis que funcionam como gravadores, computadores - e às vezes até telefones -, mas ainda temos problema com a coriza nasal. Nosso dia a dia é cheio de pequenas calhordices, dos outros e nossas. Rareiam as razões para confiar no vizinho ao nosso lado, o que dirá do político lá longe, cuja verdadeira natureza muitas vezes só vamos conhecer pela câmera escondida. Somos decididamente uma espécie inconfiável, além de venal, traiçoeira e mesquinha. E estamos envenenando o planeta, num suicídio lento do qual ninguém escapará. E tudo isso sem falar no racismo, no terrorismo e no Big Brother Brasil.

Eu tinha desistido de esperar pela nossa regeneração. Ela não viria pela religião, que se transformou em apenas outro ramo de negócios. Nem viria pela revolução, mesmo que se pagasse para o povo ocupar as barricadas. Eu achava que a espécie não tinha jeito, não tinha volta, não tinha salvação. Meu desencanto era total. Só o abandonaria diante de alguma prova irrefutável de altruísmo e caráter que redimisse a Humanidade. Uma prova de tal tamanho e tal significado que anularia meu ceticismo terminal e restauraria minha esperança no futuro. E esta prova virá neste domingo, se o Grêmio derrotar o Flamengo no Maracanã.

Se o Grêmio derrotar o Flamengo, o Internacional pode ser campeão. Mas o mais importante não é isso. Se o Grêmio derrotar o Flamengo mesmo sabendo as consequências e o possível beneficio para o arquiadversário, estará dando um exemplo inigualável de superioridade moral. A volta da minha fé na Humanidade não interessa, Grêmio. Pense no que dirá a História. Pense nas futuras gerações!"
Luís Fernando Veríssimo.






quinta-feira, 19 de novembro de 2009

O amor (próprio)!


"Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada.
Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.
Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada dois em um: duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. 
(...) Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém."
John Lennon


Tem coisa mais clichê que "amor" pra fazer um post? Eu sei que não, mas não me importo.
Repetimos tanto aquela frase de que o amor é só pra sentir, por que defini-lo é muito complicado, mas sabemos que não conseguimos ficar sem tentar. Para mim, até sentir amor é complicado. Não é fácil chegar num ponto em que você tem absoluta certeza, "agora eu estou amando fulano", até por que amar é tão diferente pra cada um, e mais, cada um cria seu próprio relógio, para o amor.
Conheço pessoas que nunca dizem que amam, a não ser para a família. Conheço também aqueles que amam depois de uma conversa, ou acham que amam, sei lá, quem sou eu pra julgar?  A questão é, se existe tantas formas de amar, reconhecer o amor e de demonstra-lo, porque insistimos em julgar o modo como as outras pessoas amam?  "Olha, aquela pessoa acha que ama a outra, mas está se enganando, por que amar não é isso." Quem foi que disse? Que sei eu sobre a maneira certa de amar alguém? Eu, como todo mundo, não sei absolutamente nada e o melhor de tudo, gosto dessa minha ignorância, acredito que se eu soubesse tudo sobre o amor, amar não teria graça. A desorientação sobre o amor é o que faz amar ser tão difícil, intenso e maravilhoso. Mas, apesar de ter escrito um parágrafo inteiro falando do amor para com outras pessoas, não é desse tipo de amor que eu quero falar.

Recentemente, é o amor próprio que tem instigado meus pensamentos mais profundos e também minha revolta. Aliás, não o amor próprio, mas a falta dele. Como existem pessoas sem amor próprio no mundo, não é gente? Pessoas amando mais aos outros do que a si mesmos. Falta tanto amor próprio para as pessoas (principalmente mulheres) que eu chego a ficar inconformada, falta vontade de acreditar que merecemos o melhor, que se alguém não gosta de nós, a pessoa tá perdendo e muito. Vejo amigas minhas, e até amigos, chorando por um amor perdido. "Eu vivi por ele (a), e ele(a) não correspondeu. Eu esperava tanto dele(a) e ele(a) me deu tão pouco." É aí que está a coisa, você viveu por ele(a), ninguém quer outra pessoa vivendo só para si, e o mais importante, ninguém no mundo tem a obrigação de atender às nossas expectativas.

Antes de esperar que alguém nos ame, é muito importante nos amar em primeiro lugar. Muitos já me disseram que é egoísmo, mas eu não concordo. Egoísmo é pensar exclusivamente em você, e amor próprio é pensar em você, primeiramente. Posso amar muito alguém, mas o meu bem-estar estará sempre a frente do bem-estar da pessoa amada. Primeiro eu vou ser feliz, e depois fazer outra pessoa feliz. Tem coisa mais óbvia? Não, não tem, mas eu sei também que é fácil falar e que quando se tem um amor não correspondido, essas coisas não fazem muito sentido. Então pelo menos, vamos tentar aproveitar os momentos que estamos com a cabeça vazia,  quando não estivermos ocupados morrendo de amores por alguém, e usar esse tempo para pensar um pouco mais nesse outro amor, que é o único que traz mais alegrias, que decepções. Por que? Por que ele só depende de nós pra dar certo.



quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Selos..



Disse que ia ao encontro do mar não disse? Pois é, eu fui. Aliás, foi só o que eu vi durante todos esses dias: mar. Mas muito, muito mar mesmo, até enjoar! Chegaram a me dizer que eu mudaria o nome do blog pra isabelaterra.blogspot.com (que tal?) mas as coisas não funcionam assim minha gente, não enjôo tão fácil das coisas (mentira) e o blog continuará falando do mar. Enfim, uma semana longe de internet, praticamente "inacessível", me fez perder muita coisa. Ganhei vários selos do Atilas e da *Lua*, e pretendo "responde-los" nesse post. Vamos lá?



1° selo.


Qual o significado dos comentários que meus amigos deixam nas postagens?
Que pergunta difícil! Não sei bem o que dizer, acho que, em resumo são importantíssimos! Apesar de ser uma péssima ouvinte, sempre gostei de saber o que as pessoas acham sobre certas coisas, e eu adoro saber o que essas pessoas acham das minhas dúvidas, aflições, medos, besteiras, e principalmente o que elas acham dos meus textos! Veio daí a idéia de escrever em um blog, e é isso que me faz continuar postando.





2° selo.


8 características marcantes.
1- Insegura. Perdi a vergonha de admitir isso faz um tempo. Sou insegura MESMO e até hoje acho que isso me traz mais vantagens que percas.
2- Teimosa. Precisa de muuito pra me convencer de que estou errada. O que me leva à 3° característica...
3- Odeio errar! Calma, não disse que não erro, é só que eu não gosto de fazer as coisas erradas, não gosto de estar errada nunca. E quando repito um erro então? Odeio!
4- Apaixonada. Pela vida, e por tudo de bom que ela me traz. Aliás, acho que sou apaixonada até pelas coisas ruins..!
5- Tagarela. (Preciso explicar? Acho que não..)
6- Sociável. Olha, não vou mentir, eu já fui muuito mais sociável, acho que estou ficando meio autista, ou como diz minha mãe, bixo-do-mato. Mas, eu acho que ainda sei me socializar com as pessoas.
7- Leitora. Não tem coisa melhor do que sentar em algum lugar, e ler. Sair dali por alguns minutos sem perceber e só voltar quando quiser. Não entendo mesmo as pessoas que odeiam ler. 
8-  A última e mais importante: Bipolar. E ser bipolar inclui ter ataques de revolta, sem mais nem menos, por coisas totalmente inúteis.






   
3° selo.
 5 coisas sugoi, ou seja, incríveis.
1- Internet. Acho incrível, oras. Acho incrível como a internet funciona, e algum dia eu ainda vou entender tudo direitinho.
2-  O universo. Já pararam pra pensar no quão pequenos nós somos diante do universo? Me arrepia pensar nisso, sério.
3- Se apaixonar. Não importa por quem ou pelo que, se apaixonar é sempre uma sensação incrivelmente boa.
4- Música. Quem não gosta de música? Alguns preferem as mais calmas, outros as mais agitadas, mas todo mundo gosta de música.
5- O mar, claro. Dispensa explicações.





Se o blog é perfeito ou VIP eu não sei, mas sei que morri de vontade de apertar o gatinho da imagem. Mesmo assim obrigado.





10 coisas que merecem cartão vermelho:


1- Políticos desonestos. Acho que cartão vermelho é pouco pra eles, mas enfim..
2- Gente "tchonga" ou "bixo do mato". Sabe aquele tipo de pessoa que não sabe conversar, se expressar, interagir, ou até mesmo pedir uma informação? Pois é, cartão vermelho para eles.
3- Falta de noção. Pessoas que desconhecem a hora de brincar e de falar sério.  
4- Grosseria. Meu Deus, cartão vermelho pra todas as grosserias já ditas.
5- Pessimismo. Que fique claro, ser realista é uma coisa, pessimista é outra bem diferente. Não seja pessimista, seja NO MÁXIMO realista.
6- Reclamação em excesso. Eu sei, quando estamos com raiva de alguma coisa reclamar é praticamente inevitável, mas vai com calma, reclamar nem sempre deixa as coisas melhores.
7- Egoísmo. Veja bem, sou adepta da idéia de pensar em nós mesmos em primeiro lugar, mas nunca, em hipótese alguma, pensar apenas em nós mesmos.
8- Quem desconhece fone de ouvido. Se eu não me engano, todos reclamaram disso (com razão). Porque raios alguém acha que todas as pessoas no ônibus/trem/metrô tem que ouvir a mesma música que ela? E o mais engraçado é que a tal pessoa NUNCA ouve uma música decente. Respeitem meu sono, e principalmente meu bom gosto.
9- Dores. Dor de cabeça, de estômago, mas principalmente cólica. Estão para inventar dor mais chata que cólica. E os homens não tem idéia do que é ter que conviver com ela durante 5 dias, TODO MÊS. Por isso, tenham muita paciência quando estivermos com cólica (e de tpm, claro).
10- Indiferença. Pra mim, é o pior sentimento que se pode ter por algo, ou alguém. 


Ufa! Não vou repassar os selos por pura preguiça gente, vocês me perdoam? Demorei dois dias pra conseguir terminar esse post, e está todo mundo enchendo meu saco pedindo as fotos da viagem, estou perdidinha. Pois bem, por aqui acabam os selos, mas não o post. 
Como já disse, fui ao encontro do mar essa semana, mas não só dele. Aline, Marcão, Leandro, Atilas e Luiz foram me ver em Búzios, conheci a Aline e o Marcão que ainda não tinham me visto pessoalmente, e matar a saudade dos outros também, foi tudo muito bom. No próximo post prometo contar detalhes da viagem, das bobagens e tudo mais.


Para terminar:
"Mergulha de novo, de novo bebe mais água, agora sem sofreguidão pois não precisa mais. Ela é a amante que sabe que terá tudo de novo. O sol se abre mais e arrepia-a ao secá-la, ela mergulha de novo: está cada vez menos sôfrega e menos aguda. Agora sabe o que quer. Quer ficar de pé parada no mar. Assim fica pois. Como contra os costados de um navio, a água bate, volta, bate. A mulher não recebe transmissões. Não precisa de comunicação."


Clarice Lispector, in As águas do mundo





quinta-feira, 29 de outubro de 2009

"Quando depois de muito mar, de muito amor.."



"[...]Eu sou como o velho barco que guarda no seu bojo o eterno ruído do mar batendo.
No entanto, como está longe o mar e como é dura a terra sob mim...
Felizes são os pássaros que chegam mais cedo que eu à suprema franqueza.
E que, voando, caem, pequenos e abençoados, nos parques onde a primavera é eterna.[...]"
Vinícius de Moraes.


Ficarei ausente do blog por algum tempo (não muito, prometo) e é por um bom motivo. Depois de quase seis meses sem o mar em minha vida, vou ao encontro dele. Outros mares, claro. Mas ainda assim com a essência da qual eu ando precisando. Quando voltar, prometo contar da viagem, e dos meus reencontros tão aguardados.


"Quando depois de muito mar, de muito amor..."   
Não me canso de ler Vinicius.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

A Internacionalização do Mundo.


"Durante debate em uma Universidade, nos Estados Unidos, fui questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia. O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um humanista e não de um brasileiro. Foi a primeira vez que um debatedor determinou a ótica humanista como o ponto de partida para uma resposta minha.
De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.
Respondi que, como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, podia imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a Humanidade.
Se a Amazônia, sob uma ótica humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro. O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço. Os ricos do mundo, no direito de queimar esse imenso patrimônio da Humanidade.
Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país. Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.
Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França. Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural amazônico, seja manipulado e destruído pelo gosto de um proprietário ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês, decidiu enterrar com ele um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.
Durante o encontro em que recebi a pergunta, as Nações Unidas reuniam o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu disse que Nova York, como sede das Nações Unidas, deveria ser internacionalizada. Pelo menos Manhatan deveria pertencer a toda a Humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza especifica, sua história do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.
Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maior do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.
Nos seus debates, os atuais candidatos à presidência dos EUA têm defendido a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do mundo tenha possibilidade de ir à escola. Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o pais onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro. Ainda mais do que merece a Amazônia. Quando os dirigentes tratarem as crianças pobres do mundo como um patrimônio da Humanidade, eles não deixarão que elas trabalhem quando deveriam estudar; que morram quando deveriam viver.
Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo. Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa."

Cristovam Buarque

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Morre lentamente, quem não vive!



"Morre lentamente
Quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo
Morre lentamente
Quem destrói seu amor próprio,
Quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito
Repetindo todos os dias os mesmos trajeto,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou
Não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente
Quem [...]"



Sabe aquela quarta-feira estressante? Ou aquele domingo parado? Claro que sabe, todo mundo sabe. Dias assim em que dá preguiça de viver! Não, não do jeito melancólico da expressão, digo preguiça mesmo! Preguiça de levantar da cama, de tirar o pijama, de colocar os pés para fora de casa.  Pois é,  parece que não importa o quanto tentemos fugir deles, uma hora ou outra esses malditos dias insistem em acontecer!  
Não precisa ser sempre, aliás, se você realmente quiser, eles não precisam ser assim nunca! Acorde, tome um banho, saia para andar, de bicicleta ou a pé mesmo, admire a paisagem, as ruas, as árvores, os prédios, as praças, e porque não? Admire as pessoas. Brinque com seu cachorro, ajude sua mãe a fazer um bolo (você não, Atilas), leia um bom livro, ouça um tipo de música diferente,  vá a casa de um amigo que não vê há meses...Eu não sei, faça alguma coisa, qualquer coisa, mas tente espantar aqueles dias insignificantes de sua vida.  Prometo fazer o mesmo.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Será que é pedir muito?


"Eu não quero que minhas vontades tortas e meus desejos secretos fiquem escondidos.
Eu quero mais é que eles saiam por aí, nem que seja para não se atrofiarem.
Eu ando seguindo o que eu acho que tenho de mais valioso: meu coração.

Se você estiver no meu caminho, te levarei comigo.
(Quer vir?).
Cansei de pagar mais por menos.
Eu enxergo sua alma.
Enxergo suas incertezas.
Mas eu não quero suas dúvidas...
Por favor, durma com elas.
Nem que seja por esta noite.
Eu também tenho medo de errar e levar a sua culpa pode ser uma enorme bagagem para mim. Entende?
Algum dia há de dar certo.
Se não for do jeito que sonhamos, será de um jeito muito melhor.
O mundo nos prega peças, sabia?
Eu não quero competir com refrões.
Eu quero poesia, sentimentos e beijos no pescoço.
Será que é pedir muito?"


Já teve aquela sensação de que está pedindo demais da vida? Que está abusando da boa vontade do acaso?  De que a qualquer momento o vinho pode virar água? Pois é, para mim, essa sensação de "é bom demais pra ser verdade" está diretamente ligada à minha segurança e ao meu medo de me entregar ao desconhecido. Sabe-se lá porque, tenho uma grande dificuldade em mergulhar (trocadilho) em algum relacionamento sem ter algumas certezas sobre ele, e dessa vez não é diferente. Ok, só um pouco. Dessa vez eu meio que estava dentro desse mar de emoções (trocadilho) muito antes de conseguir pensar sobre ele, porque de alguma forma, você cruzou meu caminho e eu não tive chance (e nem vontade) de te tirar dele.
Obs: Talvez eu queira sim, todas as suas dúvidas e quem sabe fazer delas, as minhas próprias.


PS: Sim, os posts estão ficando cada vez mais pessoais...Mas relaxem, prometo que vou me controlar e o no próximo post escreverei coisas "genéricas", ok?!
Um beijo.

domingo, 27 de setembro de 2009

Pode abrir os olhos..


"Pode abrir os olhos, vai ver que não sou um bicho-de-sete-cabeças. Sou bem diferente de você, como já disse, mas isso é ótimo. Sou melhor que você em algumas coisas, pior que você em outras – acontece. No que eu for pior, pode virar para outro lado; no que eu for melhor, cogite me admirar. “Olhos nos olhos, quero ver o que você faz...”* Sempre quis cantar isso para alguém. “Olhos nos olhos, quero ver o que você diz...”* Pronto, um sonho realizado. Já estou lucrando com a nossa relação, só falta você. Basta ver o que eu posso lhe mostrar e enxergar o que eu posso ser para você."
Fernanda Young.


quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Mulheres apaixonadas..

"Ah, as mulheres apaixonadas: por mais sérias que sejam, por mais responsáveis diante do mundo, viram doidivanas quando um homem consegue atingir seu coração. Elas são maravilhosas, todas tão diferentes e tão iguais; e não existe nada melhor do que ouvi-las falando de seus amores. Entre o papo de duas adolescentes ou de duas mulheres várias vezes casadas e com filhos de diversos maridos, não há diferença. Afinal, não há maior estado de graça do que estar apaixonada. Se você tem uma ou duas amigas assim, aproveite para aprender o verdadeiro sentido da vida. E faça isso antes que alguém chame a ambulância do manicômio e o enfermeiro leve-as em camisa-de-força. A única chance que elas têm de escapar é se a psiquiatra for mulher e também estiver apaixonada..
Danuza Leão
Mulher apaixonada chega a irritar.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

16th.. !

“(…) Claro que você não tem culpa, coração, caímos exatamente na mesma ratoeira, a única diferença é que você pensa que pode escapar, e eu quero chafurdar na dor deste ferro enfiado fundo na minha garganta seca que sóa umedece com vodka, me passa o cigarro, não, não estou desesperada, não mais do que sempre estive, nothing special, baby, não estou louca nem bêbada, estou é lúcida pra caralho e sei claramente que não tenho nenhum saída, ah não se preocupe, meu bem, depois que você sair tomo banho frio, leite quente com mel de eucalipto, gin-seng e lexotan,depois deito, depois durmo, depois acordo e passo uma semana a ban-chá e arroz integral, absolutamente santa, absolutamente pura, absolutamente limpa, depois tomo outro porre, cheiro cinco gramas, bato o carro numa esquina ou ligo para o CVV às quatro da madrugada e alugo a cabeça dum panaca qualquer choramingando coisas do tipo preciso-tanto-de-uma-razão-para-viver-e-sei-que-esta-razão-só-está-dentro-de-mim-bababá-bababá, até o sol pintar atrás daqueles edifícios, não vou tomar nenhuma medida drástica, a não ser continuar, tem coisa mais destrutiva que insistir sem fé nenhuma?”
Caio Fernando Abreu

Quando eu penso que posso transparecer o que sinto com minhas próprias palavras, lá vem ele,  me derrubando, e provando mais uma vez que consegue dizer tudo, e melhor. Aiaiai esse Caio viu..!
Dia 16 é um dia especial, e gosto de dizer que nunca vou me esquecer dele.

domingo, 13 de setembro de 2009

"E de repente a gente vê que perdeu, ou está, perdendo alguma coisa.."

Sempre soube que seria difícil, mas não imaginei que seus braços pareceriam mais pesados e mais firmes em torno da minha cintura, e que por alguns instantes eu pudesse ver nosso caminho inteiro até aqui, como alguém que está prestes a morrer. Acho que era esse pedaço sabe? Essa parte minha que você levou consigo, ela estava morrendo, estava deixando de ser minha, ou nossa, para ser só sua.
Queria que soubesse que eu chorei. Como o tempo todo em que passamos juntos, devo ter chorado mais que você, porque eu, nunca vi você chorar, vi no máximo, lágrimas teimosas caírem pelo seu rosto, mas ainda assim muito discretas. Eu, como sempre, deixei cair várias delas, e não me preocupei nem um pouco em como elas chamavam atenção. Além disso, as lágrimas não estavam só nos olhos, elas ficaram nos beijos, nos abraços, e também na saudade que eu sabia que ia sentir. E sinto. Porque não importa o quão certa esteja de que é melhor assim, meu corpo ainda sente falta do teu. Sente falta do pedaço que se esvaiu e que não sei se é capaz de voltar. Não sei se quero que volte, porque por mais doloroso que seja esse buraco que ficou, pior ainda era o espaço que sobrava, que me parecia não precisar estar ali.
Só agora eu passo a entender que as vezes amar não é o suficiente, e que eu não posso criar um mundo só pra nós dois e mesmo que pudesse, você sabe que eu não sou o tipo de pessoa que consegue viver num mundo só, e eu queria, mesmo, te levar pra todos os outros mundos comigo, mas você não quis, ou não demonstrou querer, preferiu me deixar pensando que queria só esse nosso mundo, o qual eu sou incapaz de te dar, não por falta de vontade, por limitação humana mesmo.
  

Precisar.

"Precisar é sempre o momento supremo. Assim como a mais arriscada alegria entre um homem e uma mulher vem quando a grandeza de precisar é tanta que se sente em agonia e espanto: sem ti eu não poderia viver."
Clarice Lispector. 


Precisar: Ter necessidade de, carecer.

O que a frase "preciso de você" quer dizer o que exatamente? Que a pessoa em questão necessita de mim? Para que? Por que? Ouvi isso de várias pessoas diferentes, e quanto mais penso nas razões de cada uma para me dedicar tal frase, mais difícil fica de entende-la.
Quando é que a gente se dá conta de que precisa de alguém? A certeza pode vir no momento em que se acha impossível deixa-lo se soltar dos nossos braços, ou quando ao acordar as 3 da manha, tocando o espaço ao lado na cama, perceber que está vazio. Quando ao ouvir aquela música, notar que a melodia não faz mais sentido sem o cantarolar do outro. Esses momentos, nos fazem sim, ter a certeza do quanto se precisa daquela companhia.
Talvez tenha tido esses momentos, ainda há pouco. E por falta de coragem ou talvez até de oportunidade, creio que demorarei a conseguir te dedicar tais certezas das quais eu falo. Mas eu sonho. Sonho com o dia em que vou chegar perto de ti, como quem não quer nada, e dizer ao pé do ouvido "Eu preciso de você". E nesse momento, não importa o que diz Clarice, e nem quantas definições existam no dicionário, nenhuma delas será suficiente.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Como seduzir alguém de Virgem?

Bem, já que é Setembro, mês em que a primavera se inicia e claro, mês do meu aniversário, nada melhor do que falar sobre meu signo, não é? Não, não sou neurótica por astrologia e nem leio o horóscopo para saber como é que vai ser meu dia, semana, mês, minha VIDA, mas há algum tempo eu achei por aí um tópico sobre "Como seduzir alguém de Virgem.." e, como todos vocês devem estar fazendo agora, eu ri por alguns minutos mas decidi ler, e não é que eu gostei? Comecei a ler e aos poucos as definições foram se encaixando, dando certo, fazendo sentido...até que eu cheguei a conclusão de que foi minha mãe quem escreveu o texto! rs Enfim, quis compartilhar, porque eu acho que na maior parte do texto a definição está totalmente correta, mas claro que isso na minha visão (sobre eu mesma), né? As vezes vocês me enchergam de um jeito totalmente diferente, vai saber.

"Para começar bem, chegue na hora marcada: nunca falhe com um virginiano. Assim agradará aos tipos mais metódicos e também aqueles hipersensíveis que, ou entram em vertiginosos processos de rejeição ou que se desesperam, achando que aconteceu algo grave com você.
O ser de Virgem pode ser um poço de sensibilidade e emoção, mas geralmente faz de tudo para disfarçar que se sente vulnerável ao que acontece ao seu redor. Se você acha que ele é muito crítico e exigente com você, imagine como é consigo mesmo... Leva a autocrítica ao extremo e pode se sentir responsável e culpado por qualquer coisa que sai errado. Costuma ser um pouco tenso e irritadiço - ajude-o a relaxar. Inteligentes e observadores, virginianos apreciam toques de humor e ironia, mas não em cima deles, claro. Muitos são sérios e rigorosos, vai ser bom fazê-los rir e brincar. Questionadores, racionais, podem levar algum tempo para entender uma boa piada. Há também, mais raros, aqueles que são bem ao contrário, os que riem sozinhos (e fazem os outros rirem), se divertindo com os detalhes tão pequenos da vida cotidiana e das pessoas. De uma forma ou outra, estão atentos às sutilezas e vão gostar de ver que você está ligado às suas percepções e é cúmplice de suas idéias.
Como um signo de Terra, é voltado para o universo das coisas práticas e gosta de produzir, de fazer as coisas acontecerem, além de aperfeiçoar e melhorar a qualidade do que já existe. Uma boa maneira de se aproximar ou chamar sua atenção é trabalhar com ele, compartilhando sua necessidade (às vezes compulsiva) de contribuir para o mundo. Adoram se sentir necessários e úteis, enfim, que são importantes pra você... Consertar o seu chuveiro ou costurar suas meias pode ser uma prova de amor como nenhuma outra - saiba reconhecer e valorizar seus gestos de carinho.
E, como é característico do elemento Terra, tem um lado sensual muito forte, só que nem sempre são muito demonstrativos - gostam de saber onde estão pisando. Podem demorar um pouco pra esquentar, mas depois que esquentam, Virgem nossa! Não pense que o nome dado a esse signo corresponde a um padrão. Na verdade, seu simbolismo se origina dos mitos antigos ligados às deusas da fertilidade da natureza, que eram chamadas virgens e não ao sentido comum de "imaculado", etc. Sua relação com a natureza, com as plantas e a terra é muito intensa... Um final de semana longe da cidade pode ser revitalizador e estimulante. Vá fazendo as reservas num hotelzinho aconchegante. O clima romântico e roupas de baixo insinuantes ficam por sua conta - não fique esperando que virginianos se preocupem com isso, ora, são tão ocupados... "
Amanda Costa

Fonte: Terra.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Eu vou em busca de você.

"Devo, entretanto, avisar que não pretendo te esquecer nem deixar você em paz. Pode correr; pode fugir; que vou em busca de você, onde estiver: Cancelarei compromissos, emendarei feriados, mas tenho certeza de que te encontrarei de novo. Nem que seja por um só segundo..."

Fernanda Young.

Deixa pra lá a distância, meu bem. Deixa que o tempo vai te mostrar a cura pra todas as incertezas. Sempre!

Ps: As palavras têm fugido de mim faz alguns dias, então peço desculpas pelo post pequeno, mas prometo que assim que conseguir terminar os outros rascunhos, eles estarão aqui.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Setembro is coming...

"Gosto das tuas notícias e do teu feeling. Claro, claro que vem. O amor tá solto no ar de setembro (chega — wow! — amanhã) e já vimos tanta coisa e já sabemos de tantas outras que não vamos entregar a rapadura assim no mais, chê. Ando cheio de fé."
Caio Fernando Abreu
Foi só pra mim, ou o mês de Agosto esse ano durou MUITO? Parece que levou décadas para chegar o dia de hoje, o último dia desse mês infernal. É sério, não estou exagerando, tirando alguns fatos isolados, esse mês foi definitivamente o pior mês do ano até agora, e eu não acho que os próximos consigam superá-lo !
No calendário atrológico, esse é o mês mais complicado para relacionamentos. E parece mesmo que em todo lugar que eu ia, tinha alguém reclamando que brigou com o namorado ou namorada, melhores amigos, pais e etc. Era como se esse fosse o período em que a paciência de tudo e todos evaporasse e desse lugar à um sentimento de confusão e indiferença. Cheguei a pensar que essa tal crise-de-agosto não fosse me atingir, mas que boba eu fui, me atingiu em cheio. Tive discussões com pessoas que eu achei que nunca teria, magoei outras que eu nunca quis magoar, e inúmeros outros problemas que não é necessário citar. Todos esse problemas fizeram esse mês durar o que me pareceu uma eternidade, e me fizesse esperar ansiosamente pelo próximo.
O que importa é: Setembro chegou. E totalmente contrário ao anterior, setembro é um mês que eu adoro. Não sei bem o motivo, para falar a verdade, mas eu me sinto muito bem quando chega setembro. Talvez seja pelo clima, nada de muito calor e nem muito frio, o clima ideal, e a sensação de que as flores vão colorir um pouco mais a cidade, como em toda a primavera. Talvez seja por que sei que meu aniversário está chegando, e eu sou o tipo de pessoa que gosta de ficar mais velha. Fico cheia de esperança, pois para mim, todo aniversário é um ano novo pessoal.

A esperança está no ar como se eu pudesse vê-la claramente, assim, a olho nu.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

"Assim eu vou resumindo um pouco da minhas ferias..."

As aulas começaram semana passada, e eu senti que deveria fazer um post (dito assim mesmo, pooooust), resumindo minhas férias. Como eu ainda não adotei o método do caderninho, usado pelo Atilas, vou escrever somente as coisas que eu me lembro, e que tenho vontade de contar a vocês.
Bem, passei a maior parte das minhas férias fazendo o que casais fazem: fiquei em casa, assisti filmes, saí pra tomar sorvete e andar pela praça da cidade. Mas além disso, eu fiz esquentas na casa da Elisinha (de lei), brinquei de gato mia, e também de uma brincadeira que eu nao lembro o nome, que dependia de rapidez e atenção, e que a finalidade era todo mundo sair bebado. Não conseguimos, somos lerdos.
Viajei para Ferraz, passei uma tarde na paulista, fui ver um cover do Legião Urbana, que acabei não vendo inteiramente, e ainda por cima fui obrigada a aguentar o cover da banda mais melodramática da história, The Smiths, não ouçam. Mas enfim, o mais importante eu fiz, assisti ao show do Marcelo Camelo, que conta com a participação da Mallu Magalhães, e por mais que eu não vá muito com a cara dela, é lindo ve-los cantando juntos.
Voltei para Angatuba no domingo, para no dia seguinte voltar a rotina.
No meio disso tudo, eu ainda tive que ouvir pérolas, que me fizeram rir por pelo menos uns dias.

"Eu descolori o cabelo pra parecer a Fernanda Lima em Bang Bang, não deu certo, e aí eu tive que pintar de novo"
Elisa, sobre acreditar em milagres.

"Você cogitou a hipótese de fazer cirurgia plástica ou nascer de novo?"
Jay, sobre a afirmação acima.

"Sabe, eu acho que antigamente eles não falavam esses palavrões de hoje né? Tipo, buceta..Acho que antes era só vagina"
Luan sobre palavrões antigos

"Não tire os óculos, use e abuse dos óculos! *cantando*"
Bêbado para mim, depois que eu tirei os óculos para limpar.

"Eu comecei a trabalhar na loja de materiais de construção da minha mãe, e descobri que existe rejunte colorido, isso mudou minha vida, gente."
Bia, sobre descobertas que mudam nossas vidas.

"Se isso fosse uma democracia, nós íriamos comer um dogão, mas como o mundo não é justo, vamos embora."
Adriano, sobre a votação que decidiria nosso destino as 3 da manhã.

"É, o SPFC ganhou o jogo ontem né? E o corinthians perdeu.."
"Tá moça, mas o que você ganhou com isso?"
Bebâdo para mim, sobre não ganhar nada sendo torcedora.

Num momento você estava aqui, no outro já não estava.

"Fiquei triste. Num momento você estava aqui, no outro já não estava. Igual a um bicho de estimação que morre de repente e somem com o corpo.Para onde foi tudo aquilo? Que tínhamos tão seguro. Tão certos de sua eternidade. Para onde foi, hein? Meu peito, depósito subitamente esvaziado, aperta-se no meio de tanto espaço.Tento identificar o instante, quando o que tínhamos se perdeu. Mas nem sei se o perdemos juntos ou se juntos já não estávamos. Me desespera saber que um amor, um dia desses tão grande, possa ter desaparecido com tanta facilidade.Como já disse, estou triste; e isso me faz acreditar no poder das cartas. Não falo de tarô, mas destas, escritas e mandadas ou não mandadas. Cheias de questões e metáforas, que assim, misturadas cuidadosamente, num cafona português polido, soam mais sensatas. Qual poder espero desta carta? Simples: que deixe registrado este meu estranho momento. Quando o que devia ser alívio revela-se angústia. E a cabeça não pára, vasculhando cantos vazios. Não gosto de perder as minhas coisas, você sabe. E hoje, cercada pela sua ausência, procuro o que procurar. Experimentando o desânimo da busca desiludida. Pois, se um amor como aquele acaba dessa maneira, vale a pena encontrar um outro? Será inteligente apostar tanto de novo? Aposto que você está pouco se lixando para isso tudo. Que seguiu sua vida tranqüilamente, como se nada de tão importante tivesse ocorrido. E está até achando graça desta minha carta, julgando-a patética e ridícula. Você, redundante como sempre.Só há uma coisa certa a respeito disso: não desejo resposta sua. É, esta é uma daquelas cartas que não são para ser respondidas. Apenas lidas, relidas, depois picadas em pedacinhos. Sendo esse o destino mais nobre para as emoções abandonadas.Queria apenas pedir um favor antes que você rasgue este resto do que tivemos. Se algum dia, tendo bebido demais, sei lá, você acabar pensando tolices parecidas com estas, escreva também uma carta. Mesmo sem jamais saber o que você irá dizer, sei que ela fará de mim menos ridícula. Neste amor e, por isso, em todo o resto. Pois adoraria que você fosse capaz de tanto - escrever uma carta é um ato de desmedida coragem. E eu ficaria, enfim, feliz comigo, por tê-lo amado. Um homem assim, capaz de escrever bobagens amorosas. Então é isso - como sou insuportavelmente romântica, meu Deus. Termino aqui essa história, de minha parte, contando que estas palavras façam jus ao fim do amor que senti. E deixando este testamento de dor, onde me reconheço fraca e irremediável. Porque ainda gostaria de poder acreditar que você nadaria de volta para mim."
Fernanda Young


É tão bom saber que só me sinto assim quando estou longe de você. É tão bom saber que está disposto a fazer as coisas certas tanto quanto eu. E sabe o que é melhor? Saber que mesmo depois de tudo, você ainda tem a incrível capacidade de fazer todas as minhas preocupações sumirem com um simples abraço.

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Agosto.

"Para atravessar agosto ter um amor seria importante, mas se você não conseguiu, se a vida não deu, ou ele partiu sem o menor pudor, invente um. [...] Remoto ou acessível, que você possa pensar nesse amor nas noites de agosto, viajar por ilhas do Pacífico Sul, Grécia, Cancún ou Miami, ao gosto do freguês. Que se possa sonhar, isso é que conta, com mãos dadas, suspiros, juras, projetos, abraços no convés à lua cheia, brilhos na costa ao longe. E beijos, muitos. Bem molhados."

Caio Fernando de Abreu.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Bem ou mal? Ambos.

Bem, eu tinha um texto pronto para postar no blog hoje, mas alguns acontecimentos me fizeram mudar de idéia. É algo que eu repito todas as vezes que meus amigos me pedem conselhos sobre relacionamento, alguns deles até estão cansados de ouvir, mas eu não desisto.
Durante os meus quase 16 anos de vida (21 de setembro tá aí, ok?), eu usei uma regra básica em meus relacionamentos, quando digo relacionamentos quero dizer tudo mesmo, amigos, colegas, ficantes, rolos e namorados. É uma promessa, que eu fiz para mim mesma, assim que comecei a perceber o quanto as pessoas magoam umas as outras, insistentemente, em todas essas relações. É simples: prometi que as pessoas só permaneceriam na minha vida, enquanto estiverem me fazendo mais bem, do que mal.
Não estou dizendo que se alguém me aborrecer ou me irritar, eu vá sumir e nunca mais falar com a tal pessoa, até porque não é muito fácil me aborrecer ou me irritar, né? Enfim, o que eu quero dizer é que todas as vezes em que eu estiver aborrecida ou irritada, eu não vou só me concentrar naquilo, claro que eu vou ficar muito muito muito aborrecida ou irritada, como é de costume, mas vou lembrar também das coisas boas ligadas a tal pessoa, e se essas coisas forem suficientemente boas, as coisas ruins simplismente vão desaparecer.
Claro que também acontece o contrário. As vezes alguém me faz muito bem, mas em alguns momentos me faz mal como nenhum outro, e isso é suficiente para que as coisas boas sejam incapazes de superar. Não, eu não fico anotando quando alguém me faz bem, ou mal, não mesmo, é subconsciente. É como se em algum momento eu pensasse "Chega", e automaticamente eu acabo me afastando.
As vezes, eu demoro um pouco a perceber que essa pessoa está me fazendo mal, talvez por gostar muito dele ou dela, ou porque eu simplismente não consigo enxergar. As vezes preciso fechar os olhos antes de dormir, e pensar nos prós e nos contras, u know? Pensar em mim e no que eu acredito. É aquela velha história de que o pior cego é aquele que não quer ver. E eu quero, quero fechar meus olhos e continuar enxergando.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Agora? O vento.

"No fim tu hás de ver,
que as coisas mais leves são as únicas que o vento não consegue levar.
Um estribilho antigo,
um carinho no momento preciso,
o folhear de um livro de poemas,
o cheiro que tinha, um dia, o próprio vento."
Mario Quintana

segunda-feira, 20 de julho de 2009

"As vezes amanheço,
e minha alma está úmida.
Soa e ressoa o mar distante,
isto é um porto.
Aqui eu te amo."
Pablo Neruda

Porque insiste em deixar o mar cada vez mais distante de mim? Deixe-me entrar nele, explora-lo e encontrar quantos portos forem precisos. E enquanto isso, fazer o mesmo com você, fazer de ti meu porto seguro.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

"Penso, com mágoa, que o relacionamento da gente sempre foi um tanto unilateral, sei lá, não quero ser injusto nem nada - apenas me ferem muito esses teus silêncios."
Caio Fernando Abreu.


Pior que qualquer ofensa. Pior que extravasar, magoar. Pior que brigar por horas. Que ofenda, extravase, magoe e brigue. Mas que não use a indiferença de um silêncio.
Silenciar machuca da pior maneira.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Escolhas.

Foi voltando para casa ontem, que eu tive tempo para pensar sobre algumas coisas da vida. Coisas essas que eu gostaria de pensar com mais frequencia, mas quase nunca posso. Estava decendo uma das ruas do centro da cidade, quando olhando para o céu, percebi que todas as pombas que voavam por ali, acabavam por pousar no telhado de uma mesma casa. Fiquei intrigada. Por que ficavam todas no mesmo lugar? Estavam juntas? O telhado daquela casa era maior do que os das casas ao redor? Não, não era. Tinha uma cor extravagante ou diferente? Não, não tinha. Então por que, meu Deus, elas escolheram AQUELE telhado? Parei de andar, e comecei a direcionar aquela situação para minha vida, para o meu cotidiano...Será que todas as escolhas que eu fiz, durante 15 anos, tinham algum motivo? Será que eu, como aquelas pombas, fazia escolhas nada sensatas? Será que muitas vezes fiz escolhas erradas, sabendo que eram erradas? A resposta era sim. Todos os dias. E comecei a ter medo disso.
Enquanto as via voando em cima de minha cabeça, e voltando fielmente aquela mesma casa, pensei também em insistência, em escolhas que julgamos até o fim, serem as certas. Sobre certezas que teimamos em ter, quando não temos certeza de nada. Sobre a complexidade que é escolher alguma coisa, pensar nos prós e nos contras, e finalmente pensei na simplicidade que é não pensar em nada disso, só escolher. De repente elas saíram de lá, e dessa vez não voltaram.

É, talvez tenham mais escolhas a fazer.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Sim, andei sumida. Tanto por falta de tempo, quanto por preguiça mesmo. Mas estou de volta, muahahaha. Tenho muita coisa pra contar, mesmo.
Tudo começou sexta-feira de manhã, quando fui buscar Leandro, Luiz e Atilas na rodoviária de Itapetininga, e logo após cumprimenta-los meu primeiro pensamento foi "Putaquepariu, não vou aguentar esse sotaque carioca" e sim, nas primeiras horas, ria sozinha de cada coisa que eles falavam, mas melhorou, no final do dia eu já tinha me acostumado um pouco.
Durante o fim de semana inteiro, o Atilas anotou TUDO de besteira que falávamos, e algumas dessas coisas ele vai postar em seu blog, assim que se recuperar de 16 horas de viagem de volta. Falamos mal de muuuita gente, zoamos uns aos outros, e assistimos um filme para cegos (sim, existe) muito sem sentido. Andamos pela cidade, tomamos milk shake e corremos na chuva.
No meio de tanta babaquice, eu conheci três pessoas maravilhosas, que me encantaram cada um ao seu jeito, e que mesmo conhecendo pouco, e por pouco tempo, sei que vou levar para o resto da vida (se preferirem a palavra "sempre" também serve hahaha).

Xoxo.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Marinheiro

"— Abraça tua loucura antes que seja tarde demais — ele disse, e seus olhos tinham a cor do mar. Tinham a cor exata de quem por muito tempo, todas as horas, todos os dias de muitos meses e anos, olhou detidamente o mar, acompanhando o vôo das gaivotas, interrompendo-se em rochedos, nivelando-se ao movimento incessante das ondas. (...) Para olhá-lo, também eu precisava de certa loucura. Essa, que me indicava. A mesma a que me tenho negado em susto, atravessando cotidianos de monótonos côncavos deliberados, movendo-me pelos labirintos coloridos desses interiores sempre previstos, embora absurdos."

Caio Fernando Abreu

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Entendendo definitivamente os homens - Arnaldo Jabor

Estava vagando pela internet esses dias, e achei esse texto do Arnaldo Jabor, e achei tão interessante, que gostaria de compartilhar. E apesar de exagerar em alguns aspectos (ou não), eu gostei muito.

1º Não existe homem fiel. Você já pode ter ouvido isso algumas vezes, mas afirmo com propriedade. Não é desabafo. É palavra de homem que conhece muitos homens e que conhecem, por sua vez, muitos homens. Nenhum homem é fiel, mas pode estar fiel, ou porque está apaixonado (algo que não dura muito tempo - no máximo alguns meses - nem se iluda) ou porque está cercado por todos os lados (veremos adiante que não adianta cercá-lo: isso vai se voltar contra você). A única exceção é o crente extremamente convicto, mas agüente as outras conseqüências.

2º Não desanime. O homem é capaz de te trair e de te amar ao mesmo tempo. A traição do homem é hormonal, efêmera, para satisfazer a lascívia. Não é como a da mulher. Mulher tem que admirar para trair; ter algum envolvimento. O homem só precisa de uma bunda. A mulher precisa de um motivo para trair, o homem precisa de uma mulher.

3º Não fique desencantada com a vida por isso. A traição tem seu lado positivo. Até digo, é um mal necessário. O cara que fica cercado, sem trair é infeliz no casamento, seu desempenho sexual diminui (isso mesmo, o desempenho com a esposa diminui), ele fica mal da cabeça. Entenda de uma vez por todas: homens e mulheres são diferentes. Se quiser alguém que pense como você, vire lésbica (várias já fizeram isso e deu certo), ou case com um viado enrustido que precisa de uma mulher para se enquadrar no modelo social. Todo ser humano busca a felicidade, a realização. E a realização nada mais é do que a sensação de prazer (isso é química, tudo no cérebro). A mulher se realiza satisfazendo o desejo maternal, com segurança de ter uma família estruturada e saudável, com um bom homem ao lado que a proteja e lhe dê carinho.O homem é mais voltado para a profissão e para a realização pessoal e a realização pessoal dele vem de diversas formas: pode vir com o sentimento de paternidade, com uma família estruturada, etc., mas nunca vai vir se não puder ter acesso a outras fêmeas e se não puder ter relativo sucesso na profissão. Se você cercar seu homem (tipo, mulher que é sócia do marido na empresa; o cara não dá um passo no dia-a-dia sem ela) você vai sufocá-lo de tal forma que ele pode até não ter espaço para lhe trair, mas ou seu casamento vai durar pouco, ou ele vai ser gordo (vai buscar a fuga na comida) e vai ser pobre (por que não vai ter a cabeça tranqüila para se desenvolver profissionalmente. (Vai ser um cara sem ambição e sem futuro).

4º Não tente mudar para seu homem ser fiel. Não adianta. Silicone, curso de dança sensual, se vestir de enfermeira, etc... Nada disso vai adiantar. É lógico que quanto mais largada você for, menor a vontade do homem de ficar com você e maior as chances do divórcio. Se ser perfeita adiantasse Julia Roberts não tinha casado três vezes. Até Gisele Bunchen foi largada por Di Caprio, não é você que vai ser diferente (mas é bom não desanimar e sempre dar aquela malhadinha). O segredo é dar espaço para o homem viajar nos seus desejos: na maioria das vezes, quando ele não está sufocado pela mulher ele nem chega a trair, fica só nas paqueras, troca de olhares. Finja que não sabe que ele dá umas pegadas por fora. Isso é o segredo para um bom casamento. Deixe ele se distrair, todos precisam de lazer.

5º Se você busca o homem perfeito, pode continuar vendo novela das seis.Eles não existem nesse conceito que você imagina. Os homens perfeitos de hoje são aqueles bem desenvolvidos profissionalmente, que traem esporadicamente (uma vez a cada dois meses, por exemplo), mas que respeitam a mulher, ou seja, não gastam o dinheiro da família com amantes, não constituem outra família, não traem muitas vezes, não mantêm relações várias vezes com a mesma mulher (para não criar vínculos) e, sobretudo, são muuuuuito discretos: não deixam a esposa saber (e nem ninguém da sua relação, como amigas, familiares, etc.).Só, e somente só, um ou outro amigo DELE deve saber, faz parte do prazer do homem contar vantagem sexual. Pegar e não falar para os amigos é pior do que não pegar. As traições do homem perfeito geralmente são numa escapulida numa boate, ou com uma garota de programa (usando camisinha e sem fazer sexo oral nela), ou mesmo com uma mulher casada de passagem por sua cidade. O homem perfeito nunca trai com mulheres solteiras. Elas são causadoras de problemas. Elas são causadoras de problemas. Isso remete ao próximo tópico.

6º ESSE TÓPICO NÃO É PARA AS ESPOSAS - É PARA AS SOLTEIRAS OU AMANTES: Esqueçam de uma vez por todas esse negócio de que homem não gosta de mulher fácil. Homem adora mulher fácil. Se 'der' de prima então, é o máximo. Todo homem sabe que não existe mulher santa. Se ela está se fazendo de difícil ele parte para outra. A demanda é muito maior do que a procura. O mercado tá cheio de mulher gostosa. O que homem não gosta é de mulher que liga no dia seguinte. Isso não é ser fácil, é ser problemática (mulher problema). Ou, como se diz na gíria, é pepino puro. O fato de você não ligar para o homem e ele gostar de você não quer dizer que foi por você se fazer de difícil, mas sim por você não representar ameaça para ele. Ele vai ficar com tanta simpatia por você que você pode até conseguir fisgá-lo e roubá-lo da mulher. Ele vai começar a se envolver sem perceber. Vai começar ELE a te procurar. Se ele não te procurar era porque ele só queria aquilo mesmo. Parta para outro e deixe esse de stand by. Não vá se vingar, você só piora a situação e não lucra nada com isso. Não se sinta usada, você também fez uso do corpo dele - faz parte do jogo; guarde como um momento bom de sua vida.

7º Sim, 90% dos homens não querem nada sério. Os 10% restantes estão momentaneamente cansados da vida de balada ou estão ficando com má fama por não estarem casados ou enamorados; por isso procuram casamento. Portanto, são máximas as chances do homem mentir em quase tudo que te fala no primeiro encontro (ele só quer te comer, sempre). Não seja idiota, aproveite o momento, finja que acredita que ele está apaixonado e dê logo para ele (e corra o risco de fisgá-lo) ou então nem saia com ele. Fazer doce só agrava a situação, estamos em 2008 e não em 1958. Esqueça os conselhos da sua avó, os tempos são outros.

8º Para ser uma boa esposa e para ter um casamento pelo resto da vida faça o seguinte: Tente achar o homem perfeito do 5º item, dê espaço para ele. Não o sufoque. Ele precisa de um tempo para sua satisfação. Seja uma boa esposa, mantenha-se bonita, malhe, tenha uma profissão (não seja dona de casa), seja independente e mantenha o clima legal em casa. Nada de sufocos, de 'conversar sobre a relação', de ficar mexendo no celular dele, de ficar apertando o cerco, etc. Você pode até criar 'muros' para ele, mas crie muros invisíveis e não muito altos. Se ele perceber ou ficar sem saída, vai se sentir ameaçado e o casamento vai começar a ruir. A última dica:

9º Se você está revoltada por este e-mail, aqui vai um conselho: vá tomar uma água e volte para ler com o espírito desarmado. Se revoltar quanto ao que está escrito não vai resolver nada em sua vida. Acreditar que o que está aqui é mentira ou exagero pode ser uma boa técnica (iludir-se faz parte da vida, se você é dessas, boa sorte!). Mas tudo é a pura verdade. Seu marido/noivo/namorado te ama, tenha certeza, senão não estaria com você, mas trair é como um remédio; um lubrificante para o motor do carro. Isso é científico. O homem que você deve buscar para ser feliz é o homem perfeito do item 5º. Diferente disso ou é crente, ou viado ou tem algum trauma (e na maioria dos casos vão ser pobres). O que você procura pode ser impossível de achar, então, procure algo que você pode achar e seja feliz ao invés de passar a vida inteira procurando algo indefectível que você nunca vai encontrar. Espero ter ajudado em alguma coisa. Agora, depois de tudo isso dito, cadê a coragem de mandar este e-mail para minha mulher?


Reflitam.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Jornalismo?

Antes de começar realmente o post, devo contar que ontem, por indicação do meu ilustre namorado, assisti ao filme "7 vidas" com o Will Smith, sabem qual é? Se sabem, vão concordar comigo que o filme é muito bom. E pra quem não sabe, só quero dizer que nunca chorei tanto assistindo a um filme!
Pulando essa minha parte emo dos últimos dias, queria contar que estou pensando seriamente em fazer jornalismo. Gosto muito de publicidade, e era o que eu pretendia cursar, mas cara, jornalismo está me interessando tanto, que eu estou definitivamente em dúvida.
Não sei se tenho jeito pra coisa, e nem se é o que vou querer até o final do ano que vem, mas o importante é que estou descobrindo novas coisas, das quais eu sou capaz de me interessar. Preciso pensar sobre isso, mas ainda tenho tempo. E se não resolver nada até o ano que vem, fazer o que? Não pretendo morrer antes dos 30 mesmo.
Have a nice week.



Atenção:
Deputado que "se lixa" pede para Câmara limitar acesso de integrantes do "CQC"

"Mande email: dep.sergiomoraes@camara.gov.br e pergunte: Se o sr pouco se lixa pq quer proibir e tem medo?" - Twitter do Danilo Gentili

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral.

Pela primeira vez, vou escrever sobre política no blog. Porque? Simples, eu nunca estive tão revoltada politicamente como estou nesse momento. Não, eu não voto, mas e daí? Não ser eleitora, não significa que não possa questionar algumas coisas.
Tenho lido muito jornal esses dias, tenho assistido a programas que falam de política e para variar, nada de muito novo. Deputados e senadores falando e fazendo bobagens, alguns eleitores mostrando indignação, mas a maioria nem sabe o que está acontecendo.
Enfim, não estou aqui pra discutir sobre bons ou maus eleitores, só quero compartilhar com você, um movimento que minha mãe descobriu esses dias na internet, e que eu achei digno de um post aqui.
Se chama "Movimento de combate à corrupção eleitoral" e apesar de parecer óbvio e clichê, trata de um assunto que nem sempre é discutido ou comentado. Assunto esse que me deixou realmente intrigada. Porque políticos podem se candidatar mesmo estando respondendo por processos criminais? Não digo só crimes eleitorais, quero dizer qualquer tipo de crime! Alguns deles, respondem por crimes gravíssimos e estão lá, lançando suas candidaturas e muitas vezes, se elegendo.
Atualmente, os políticos podem se candidatar enquanto o processo corre na justiça, o que é um absurdo, porque todo mundo sabe que os processos criminais no Brasil demoram anos. O MCCE criou um projeto de lei defendendo que políticos não podem se candidatar, enquanto estiverem respondendo por tais processos. E lançaram a campanha "Ficha limpa!" que consiste em coletar assinaturas suficientes para propor o projeto de lei de iniciativa popular no congresso nacional, maaaas o voto não pode ser eletrônico, tem que ser impresso mesmo (pra dificultar, claro), e enviado à um endereço em Brasília.
Não sei vocês, mas eu acho que se alguém é processado por alguma coisa, mesmo que ainda não tenha sido declarado culpado, ele não deveria se candidatar a cargos desse nível. E caso se candidatasse, deveríamos ser os primeiros a saber sobre os processos pelo qual ele é acusado. De qualquer forma, a questão é que apesar de ser um objetivo nitidamente difícil, não é impossível e acredito que com um pouco de boa vontade e consciência podemos fazer isso, e muito mais.

Para saber mais:
Site do MCCE
MCCE lança Projeto de Lei de Iniciativa Popular

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Caio Fernando Abreu.

Tenho escrito muito esses dias, mas acho que não estou em um bom momento comigo mesma, e não gostei de nada do que escrevi. Então deixo um trecho de Caio Fernando Abreu (sim, sempre ele) e lhes digo que apesar de tudo, nunca estive tão bem. E apaixonada.

"Palavras não descrevem os olhos, as bocas, os braços e abraços, nem a alegria até então desconhecida, surgida de um (re) encontro. Pra quem, há dias atrás, refletia tanto as obras do acaso, hoje compreende que realmente, o acaso não passa de um simples nada, e acredita em algo bem maior que isso. Que levará à um próximo reencontro, sem sombra de dúvidas. Mas até lá, todas as músicas cantadas estarão na mente, todos os sorrisos que ainda não acreditavam no que estava acontecendo, todos os olhares que transpareciam toda a magia do momento. "
Caio Fernando Abreu

Reflitam.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

E aí?

Sempre tive problemas em me envolver emocionalmente, e eu não sei o porquê. Nunca sonhei com relacionamentos perfeitos. Nunca fui o tipo de garota que espera pelo cara perfeito. Na verdade, pelo contrário, parece que o que tem de errado nas pessoas é exatamente o que me conquista. Nunca insisti em coisas que achava que não iriam dar certo, sempre fui o mais realista possível com as pessoas que eu gostava. E talvez seja esse o problema. Talvez essa minha insegurança diante de algo novo me faça desistir.
Sempre digo que o meu maior inimigo nos meus relacionamentos sou eu mesma. Porque? Porque os sentimentos dos outros, não me abalam tanto quanto os meus próprios. As atitudes dos outros não me deixam mais confusa do que as minhas próprias. Eu, sou uma incógnita para mim mesma, e só eu sei o quanto isso me assusta. Me assusta porque minha opinião e sentimentos sobre alguém mudam em questão de dias. Me assusta o fato de eu não ter controle sobre isso, e acabo por magoar muita gente.
Tudo isso, me faz pensar duas vezes antes de fazer qualquer coisa. Mas apesar de tudo, eu ainda quero muito mais, eu espero muito mais. Quero experimentar novas emoções a cada noite com alguém diferente, quero ter namoros longos, quero desejar, quero sentir saudade, quero sofrer, quero me apaixonar! E quero muito, muito mesmo, não pensar em nada disso, só para ver o que acontece.


PS: Não gosto muito desse texto, é meio antigo e não reflete exatamente o que estou sentindo agora, mas por falta do que postar, aí está ele.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Who knows?

Não sei se é tristeza ou apenas sono. Se é o tempo, ou a falta dele. O cansaço das indas e vindas que não levam a lugar algum. Podem ser os caminhos, aliás, qual deles? Podem ser amor e ódio, talvez medo. Quem sabe? Pode ser nada, ou tudo. Pode ser eu ou você. Nós.

sábado, 18 de abril de 2009

Comecemos com uma pergunta simples: Você já julgou alguém antes mesmo de conhecer? Se alguém responder que não, estará mentindo. Todos nós sabemos que fazemos isso o tempo todo. Julgamos, difamamos, não gostamos e ponto final. Ok, vamos simplificar, sabe quando somos crianças e odiamos espinafre (adoro metáforas com comida) sem nem mesmo ter colocado um deles na boca? Pois é, finja que pessoas são espinafres. As vezes, nós não gostamos da aparência de alguém, e nem nos preocupamos com o conteúdo do mesmo. Colocamos em nossa cabeça que não gostamos dele (a), que ele(a) é sem graça, metido(a) sem noção e não tem nada a ver conosco. É preciso tomar cuidado, as vezes a vida não nos da oportunidade de mudar nossos conceitos e nunca se sabe o que pode ou não acontecer.
Mas suponhamos que você tenha sorte, e a vida te dê essa oportunidade. O que exatamente acontece? Você conhece a pessoa, descobre que ela é super legal (e até parecida com você) e se torna melhor amiga dela? Não é bem assim. As vezes a pessoa é realmente uma chata, sem noção, que você não iria gostar nem que fosse da família. E as vezes, a pessoa é até legal, mas você não consegue gostar dela, não sabe exatamente porque, mas a tal pessoa simplismente não 'desce'. Porque isso acontece? Eu também não sei. Na verdade, se eu soubesse, até daria um jeito de gostar de algumas pessoas que eu não vou com a cara, só pra facilitar sabe? Mas não posso, ainda sou a Isabela, um ser humano, incapaz de responder à essa e outras milhões de perguntas. Alguém que julga, que as vezes se arrepende, as vezes não e que talvez esteja só esperando que alguém novo entre em sua vida, para que ela possa tentar conhecer, e depooooois julgar.

ps1: Se eu conseguisse, não julgaria ninguém, mesmo depois de conhecer.
ps2: Eu odeio espinafre.

quinta-feira, 19 de março de 2009

Let it be!

"Sabe, para mim a vida é um punhado de lantejoulas e purpurina que o vento sopra. Daqui a pouco tudo vai ser passado mesmo - deixa o vento soprar, let it be, fique pelo menos com o gostinho de ter brilhado um pouco... " - Caio Fernando de Abreu.

Estava pensando esses dias, sobre essa idéia louca que temos, de achar que as coisas só dão certo, quando acontecem como planejamos. Tá, eu sei, é incontrolável planejar, pensar em possibilidades maravilhosas e achar que se não for exatamente assim, não valeu a pena. Mas, já pararam pra pensar que as vezes nós nos concentramos tanto em procurar maneiras perfeitas de fazer algo acontecer, e menosprezamos outras formas, igualmente boas? As vezes a vida não é como queremos, mas e daí? Temos que aprender com isso, e não nos lamentar. Não podemos ter medo de tomar atitudes, só porque não sabemos suas futuras consequencias. Precisamos adotar um pouco mais a filosofia do 'Deixa rolar!', mesmo que por pouco tempo. A vida, nossos amigos, o amor, a família, não são coisas que estão sob nosso controle, por mais que pensemos ao contrário. Não temos controle nem sobre o que sentimos, quanto mais sobre coisas externas e independentes a nós. Não serei hipócrita a ponto de dizer que deixo tudo rolar em minha vida, porque algumas coisas precisam realmente de perseverança e coragem para acontecer, mas outras não dependem só de mim, e eu cansei de me culpar por essas.

Have a nice weekend, xoxo.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Infinitas possibilidades...

Pra começar, quero deixar bem claro que esse carnaval mudou muita coisa. Coisas que eu desejava desesperadamente que mudassem, e outras que eu nem fazia tanta questão. Bem, eu realmente me aproximei de pessoas que nunca imaginei, e me afastei de outras que não gostaria. Esses dias de folia, que até então eu não gostava muito, abriram meus olhos, me fizeram procurar e achar novas possibilidades. Possibilidades essas, que agora eu sei o quanto são importantes e que fizeram desse carnaval, um dos melhores da minha vida. Então, eu te peço, procure suas possibilidades, abra seus olhos para as alternativas mais insensatas e ridículas que você possa imaginar, pois vale muito a pena.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Eu quero.

"Dizem que a gente tem o que precisa. Não o que a gente quer. Tudo bem. Eu não preciso de muito. Eu não quero muito. Eu quero mais. Mais paz. Mais saúde.Mais dinheiro. Mais poesia. Mais verdade. Mais harmonia. Mais noites bem dormidas. Mais noites em claro. Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais."
Caio F. de Abreu

domingo, 8 de fevereiro de 2009

[ MEME ]

Indicada inesperadamente pela queria Cris : http://saudade-roxa.blogspot.com/ ou http://blog-fuzue.blogspot.com/

Bem, eu geralmente escrevo demais, quando se trata de mim mesma. Então peço que tenham paciência, e que não queiram me matar depois do item 3!

1. Insegura. Insegura demais, com coisas desnecessárias. Insegura com pessoas desnecessárias. Insegura quanto aos seus próprios gostos. Insegura que não admite sua insegurança (pelo menos até hoje).

2. Tenho uma dificuldade imensa de me manter triste. Comigo não tem essa de sofrer um mês, um dia, ou até mesmo uma hora inteira por alguma coisa. Tenho estalos de tristeza, e só. Grito, choro, fico com raiva, e quero morrer. E no segundo seguinte já estou lembrando das coisas boas dessa vida.

3. Nunca me apaixonei. Pelo menos até agora, nunca verdadeiramente. Sempre tive aquelas coisas de "oh, eu o amo" e no fim não era nada sabem? Me corta o coração dizer, mas ninguém até hoje me fez ter vontade de largar tudo, por amor.

4. Rir, é comigo mesma. É involuntário e maravilhoso. É como se para cada coisa que alguém fala, eu tenha um motivo, ou uma lembrança para achar aquilo muito engraçado. Muitas vezes isso é constrangedor e importuno, mas geralmente eu não me importo.

5. Falo demais também. E quando eu digo demais, quero dizer muito mesmo. Prova disso, foi um encontro ontem, no MASP em são paulo, com no mínimo 20 pessoas, e quem mais falou fui eu. É incontrolável sabe? Principalmente nessas horas em que eu quero que tudo dê certo e que as pessoas se sintam a vontade, eu acabo falando mais do que deveria. Peço desculpas aos ouvintes também.

6. Gosto de ler, muito. Gosto também de internet, mas se você me der a opção de escolher entre um livro bom e um computador, te garanto que eu ficaria com o livro. Ler me faz bem. Mesmo os livros tristes e amargos. Esses aí me deixam triste e amarga por instantes, mas como eu já citei aqui, passa rápido e logo depois eu estou mais feliz do que nunca.


As regras são:

1 - Linkar a pessoa que te indicou.
2 - Escrever as regras do meme em seu blogue.
3 - Contar 6 coisas aleatórias sobre você.
4 - Indicar mais 6 pessoas e colocar os respectivos links.
5 - Deixar a pessoa saber que você a indicou, deixando um comentário para ela.
6 - Deixar os indicados saberem quando você publicar sua postagem.

Os indicados são:

1. Polly [http://uhntissbabe.blogspot.com/]
2. TUDO MENOS AQUILO [http://tudomenosaquilo.blogspot.com/]
3. Lorena foi embora [http://lorenafoiembora.weblog.com.pt/]
4. Rodrigo [http://rodriguiana.blogspot.com/]
5. Atilas [http://acasadoatilas.blogspot.com/]

Bem, peço desculpas por não indicar mais ninguém, mesmo. É só que não encontrei 6 pessoas, e muito menos 6 pessoas dignas de responder.

Obrigada a Cris, mais uma vez, achei divertido.